Pensar demais faz cacofonia
No corpo inteiro, paralisia
Então no auge desta agonia
Confusão fabrica poesia

Ao meu redor, tudo caótico
Fico pneumoconiótico
No saber epistemológico
Do pensamento semiótico

Quem sabe consiga, qualquer dia
Organizar meu psicológico
Para jubilar em alegria

Escapar deste vil panóptico
E navegando em calmaria
Encontrar-me apoteótico